PUBLICIDADE
Topo

Felipe Zmoginski

Investimento bilionário deve acelerar entregas da China para o Brasil

Felipe Zmoginski

06/06/2018 11h30


Jack Ma em convenção da Cainiao: dinheiro não é o problema

Nome mais famoso da internet chinesa, o magnata Jack Ma, em pessoa, fez uma aparição surpresa no evento anual de sua empresa de logística, a Cainiao.  Para uma plateia de funcionários e parceiros, Ma prometeu investir o equivalente a R$ 50 bilhões em soluções de transporte nos próximos 3 anos.

Por razões culturais (as pessoas são muito ocupadas) e demográficas (as regiões urbanas possuem grande densidade populacional, o que barateia entregas), o e-commerce é uma febre na China, ao ponto de o país, sozinho, concentrar 40% das vendas (em número de pedidos) do comércio eletrônico em todo o mundo.  "Estes R$ 50 bilhões são apenas o investimento inicial, colocaremos quanto dinheiro for preciso para fazer entregas em até 72 horas em qualquer parte do mundo", afirmou Jack Ma.

Desde 2015, o Alibaba mantém em Guangdong, no sul da China, um laboratório de pesquisa e desenvolvimento de novas soluções de logística, chamado de ET Lab. Entre as inovações criadas pelo laboratório estão robozinhos de 20 centímetros de altura capazes de levantar até 200 quilos em pesos. Equipados com câmeras para reconhecimento de imagens, eles recebem, por Wi-Fi, instruções de pedidos dos consumidores e são capazes de mover prateleiras dentro de depósitos levando os produtos até braços mecânicos que os separam e colocam em uma única caixa.

Os pequenos robôs têm, ainda, detectores de temperatura e umidade e enviam alertas para uma central se, por exemplo, produtos sensíveis estiverem expostos à luz do Sol, sob frio demasiado ou umidade excessiva.

Veja abaixo os robôs em atuação.

Assim, é possível, por exemplo, que o robô receba instruções de separar um par de tênis tamanho 38, um iPhone X e duas camisas da Seleção Brasileira de futebol e levar os itens, um por um, até um braço mecânico, que os seleciona e acomoda na embalagem final, que viajará ao consumidor.  As mesmas caixas são etiquetadas e fechadas por robôs, que possuem a capacidade de ler as embalagens e conferir se o conteúdo de uma caixa é, de fato, o mesmo solicitado pelo comprador.


Braço automático  confere e fecha pacotes antes de enviá-los às esteiras

Uma  vez fechados , os pedidos são levados, por esteiras, até caminhões de transporte, que os levarão a terminais de avião, trem ou rodovias. Para o transporte de última milha, um outro robô equipado com GPS e serviço de navegação baseado em modelagem 3D, logo capazes de reconhecer degraus e imperfeições do solo, leva o produto até a casa dos consumidores, que precisam informar uma senha para "abrir" as gavetas do robô e retirar seu pacote.

Embora a Cainiao desenvolva estas soluções, a empresa não opera serviços de logística diretamente, mas sim revende suas tecnologias para parceiros. Ao todo, 130 milhões de entregas acontecem na China todos os dias e apenas nos últimos dois anos 7 empresas de logística realizaram sua abertura de capital nas bolsas de Hong Kong e Xangai.


Robô para última milha: senhas abrem as gavetas A, B ou C

O investimento do Alibaba deve permitir que entregas dentro da China aconteçam em 24 horas após um consumidor efetuar uma compra online e em até 72 horas nas alfandegas do resto do mundo, com particular eficiência para os países vizinhos, que fazem parte do "China Belt Initiative", um multibilionário programa de infraestrutura coordenado pelo governo central de Beijing o que, na prática, deve tornar as companhias chinesas imbatíveis no comércio com os países do Pacífico e Sudeste Asiático.

Para os compradores brasileiros de sites como Aliexpress, é possível que suas encomendas cheguem mais rápido nas alfandegas de Santos, Itajaí ou Rio de Janeiro. A partir de lá, porém, o desafio será de nossas empresas de logística.

Sobre o autor

Felipe Zmoginski foi editor de tecnologia na revista INFO Exame, da Editora Abril, e passou pelos portais Terra e America Online. Foi fundador da Associação Brasileira de Online to Offline e secretário-executivo da Associação Brasileira de Inteligência Artificial. Há seis anos escreve sobre China e organiza missões de negócios para a Ásia. Com MBA em marketing pela FGV, foi head de marketing e comunicações do Baidu no Brasil, companhia líder em buscas na web na China e soluções de inteligência artificial em todo o mundo.

Sobre o Blog

Copy from China é um blog que busca jogar luzes sobre o processo de expansão econômica e desenvolvimento de novas tecnologias na China, suas contradições e oportunidades. O blog é um esforço para ajudar a compreender a transformação tecnológica da China que ascendeu da condição de um país pobre, nos anos 80, para potência mundial.