Mais informação com menos tempo de leitura
Topo
Copy From China

Copy From China

Ganham fama, perdem saúde: a geração doente de web celebridades chinesas

Felipe Zmoginski

15/05/2019 04h00


Li Jiaoqi: transmissões ao vivo são diárias e só terminam às 4 da manhã

Conquistar fama e fortuna sem sair de casa. Ganhar produtos caros das grifes mais desejadas. Esta é a vida das web celebridades em todo o mundo, seguidas e admiradas por milhões de consumidores ávidos por seguir a tendência ditada pelos famosos e receber dinheiro, muito dinheiro, dos departamentos de marketing de grandes corporações.

A doce descrição da vida de um influenciador digital pode não ser totalmente falsa, mas certamente não é esta toda a verdade. Esta semana, na China, um debate nacional sobre a vida destes famosos do mundo virtual incendiou os fóruns de discussão digital após ao menos duas web celebridades se declararem doentes em função da pressão que recebem para ter mais seguidores e tráfego nas redes sociais.

Os debates tiveram início quando Li Jiaoqi, um influenciador de itens de moda e cosméticos com 20 milhões de seguidores na plataforma de e-commerce TaoBao, do grupo Alibaba, contou que está há mais de um ano sem tirar um dia de folga e que sofre de crises de pânico e depressão.

Jiaoqi é um ex-assistente de vendas de produtos de beleza que criou um canal de streaming incrivelmente bem-sucedido dentro da plataforma TaoBao. Em um depoimento aterrador, no entanto, o jovem influenciador disse que o preço da fama está consumindo sua saúde e que há mais de um ano ele não sabe o que é sair com os amigos ou divertir-se em uma sala de karaokê, uma forma de lazer muito popular na China.

Todos os dias, Jiaoqi entrar no ar às 19h e só desliga sua câmera às 4h da manhã. No período, o melhor para gerar vendas online, ele testa tipos de maquiagem, perfumes e acessórios em moda. Em um de seus vídeos mais famosos, o ex-vendedor tem o privilégio de testar batons em Jack Ma, o mítico fundador do Alibaba em pessoa.

Nas palavras de Jiaoqi, no entanto, sua rotina é massacrante.  Após algumas horas de sono, o influenciador acorda às 11h30 e dedica-se a preparar os vídeos que gravará a partir das 19h.  No último ano, Jiaoqui fez 389 entradas ao vivo no Taobao, mais de uma por dia. Nem um só dia de descanso, nem mesmo nos feriados nacionais.   "Me tornei uma pessoa solitária e sem amigos. Quando eu era um vendedor, largava meu trabalho às 18h e podia me divertir", conta.

Jack Ma prestigia web celebridade em streaming no Tao Bao: fama e solidão

Quando questionado sobre o motivo de não tirar um tempo para si, Jiaoqi responde que seus patrocinadores não aceitariam seu descanso. "Há mais de 10 mil influenciadores fazendo testes no TaoBao, se eu paro um único dia, perco audiência para eles", conta. O jovem gravou vídeos mesmo quando estava doente, com uma crise de bronquite. Na época, ele intercalava testes com o uso de um inalador.

O caso do ex-vendedor de cosméticos não é único no país. Outra web celebridade, uma garota que se apresenta sob o apelido TT&SS afirma ter crises de pânico e ansiedade a cada vez que posta um vídeo na rede social TikTok, um microblog de vídeos curtos. "Quero saber se eles terão sucesso e audiência, fico checando as estatísticas o tempo todo", conta.

Segundo a jovem, uma de suas amigas, a quem não identificou, teria tentado o suicídio tomando remédios para dormir, após seu canal no TikTok ser retirado do ar por "infringir os termos de uso".

Os casos guardam relação com a excessiva pressão pelo sucesso que existe na sociedade chinesa e vítima desde empresários que não conseguem sucesso até garotos que não são aprovados no ultracompetitivo vestibular chinês, o GaoKao.  No caso das web celebridades, no entanto, seus altos e baixos são acompanhados ao vivo por milhões de seguidores, muitos deles haters que os seguem apenas para criticá-los a apontar suas falhas.  Jovens, imaturos e com a intimidade exposta ao mundo, muitos não resistem à cruel roda da fama online.

Sobre o autor

Felipe Zmoginski foi editor de tecnologia na revista INFO Exame, da Editora Abril, e passou pelos portais Terra e America Online. Foi fundador da Associação Brasileira de Online to Offline e secretário-executivo da Associação Brasileira de Inteligência Artificial. Há seis anos escreve sobre China e organiza missões de negócios para a Ásia. Com MBA em marketing pela FGV, foi head de marketing e comunicações do Baidu no Brasil, companhia líder em buscas na web na China e soluções de inteligência artificial em todo o mundo.

Sobre o Blog

Copy from China é um blog que busca jogar luzes sobre o processo de expansão econômica e desenvolvimento de novas tecnologias na China, suas contradições e oportunidades. O blog é um esforço para ajudar a compreender a transformação tecnológica da China que ascendeu da condição de um país pobre, nos anos 80, para potência mundial.

Mais Copy from China