Topo

"Dia dos solteiros": como a Black Friday online chinesa supera a dos EUA

Felipe Zmoginski

13/11/2019 04h00


Alibaba anuncia vendas de 100 bi de RMBs na 1ª hora de promoção

O "dia dos solteiros", em 11 de novembro, é a data mais importante do e-commerce chinês e, em 2019, voltou a bater recordes, superando US$ 58,5 bilhões em vendas. Para efeito de comparação, ao longo de um ano inteiro, o e-commerce do Brasil vende US$ 14,5 bilhões, mais ou menos que a China vendeu nos primeiros 60 minutos deste dia dos solteiros.  O valor comercializado na China, no dia 11 de novembro, é maior também que a soma de Black Friday e Cyber Monday nos Estados Unidos, economia (bem) maior que a brasileira e (um pouco) maior que a Chinesa.

O gigantismo dos Singles Days, data inventada por Jack Ma, fundador do Alibaba, para promover as vendas online no país no fim dos anos 90, não é exatamente a grande notícia. O fato relevante é que, mais uma vez, as vendas foram (bem) maiores que no ano anterior, crescendo 30% (ano sobre ano).

No passado, este crescimento já foi de 40% ao ano, é verdade, mas uma expansão a taxas de 30% não é nada mal, sobretudo se observarmos o cenário de guerra comercial entre China e seu principal parceiro, os Estados Unidos. Havia muito temor de que, em 2019, os chineses fossem menos otimistas em relação ao futuro e comprassem menos, o que não aconteceu.

Social commerce

O líder em vendas, naturalmente, foi o Alibaba, que faturou US$ 38,4 bilhões sozinho, seguindo pela Jing Dong, tradicional número 2 do e-commerce chinês.  O ponto de atenção fica para a meteórica ascensão do Pingduo, uma startup que, segundo a consultoria Syntrun, foi o 3º maior vendedor do país na data.


Interface do Pingduo: misturar rede social e compras deu certo na China

O Pingduo é, na verdade, uma rede social em que pessoas compartilham o que compram online com os amigos, que recebem descontos se adquirirem itens referenciados por terceiros. O caso é um fenômeno estudado por executivos do mundo todo e que, recentemente, inspirou a Amazon a adicionar características sociais à sua plataforma, em um evidente caso de copy from china.

A enormidade do Singles Day na China pode ser explicada por múltiplos fatores e todos eles colocam o país asiático em uma posição em que não cabe comparações com outros mercados do mundo. São pontos favoráveis à China, por exemplo, a infraestrutura excelente do país, que assegura entregas rápidas e o estilo de vida mega-plus-ultra-blaster ocupado dos chineses, que trabalham looongas jornadas. Tudo o que puder ser resolvido online, melhor.

Além disso, algumas ofertas são, na verdade, a compra de cupons válidos para uso o ano todo, como créditos para pedir entregas de comida, por exemplo. Ou seja, não é que, em um único dia, vendeu-se 10 bilhões de refeições, mas sim que comprou-se cupons para tantas refeições, que serão consumidas ao longo do tempo.

Na China, serviços de saúde, vacinas, tratamentos odontológicos e até cirurgias plásticas não obedecem às mesmas regras de regulação que no Brasil ou nos Estados Unidos. Muitos consumidores, por exemplo, aguardam estas promoções para comprarem vacinas antecipadas para seus filhos (não existe SUS nem saúde gratuita na China, ok?) ou mesmo créditos para tratar dentes quebrados ou amarelados demais.

Sim, cirurgias plásticas como aumento dos seios, ampliação do tamanho das pálpebras e mágicos tratamentos para "clarear" a pele (a palidez é um critério de beleza, especialmente para mulheres) também são vendidas em promoção.

Aliás, nada mais coerente que comprar um tratamento estético no… dia dos solteiros, não?

Sobre o autor

Felipe Zmoginski foi editor de tecnologia na revista INFO Exame, da Editora Abril, e passou pelos portais Terra e America Online. Foi fundador da Associação Brasileira de Online to Offline e secretário-executivo da Associação Brasileira de Inteligência Artificial. Há seis anos escreve sobre China e organiza missões de negócios para a Ásia. Com MBA em marketing pela FGV, foi head de marketing e comunicações do Baidu no Brasil, companhia líder em buscas na web na China e soluções de inteligência artificial em todo o mundo.

Sobre o Blog

Copy from China é um blog que busca jogar luzes sobre o processo de expansão econômica e desenvolvimento de novas tecnologias na China, suas contradições e oportunidades. O blog é um esforço para ajudar a compreender a transformação tecnológica da China que ascendeu da condição de um país pobre, nos anos 80, para potência mundial.

Copy from China