PUBLICIDADE
Topo

Nem dinheiro e cartão: estrangeiros também usam app de pagamento na China

Felipe Zmoginski

26/01/2020 04h00

Estrangeiros podem usar Alipay para fazer compras e pagamentos na China (Divulgação/Alizilla)

A China é a única sociedade cashless do mundo e ir até lá e não experimentar as facilidades desta inovação era uma constante frustração para estrangeiros até o início de 2020, quando o governo local liberou o uso de apps de pagamento para não-chineses.

Até é possível, eventualmente, comprar coisas em papel moeda por lá, mas o fato é que a maior parte dos estabelecimentos nem sempre tem dinheiro em espécie para dar troco. E as maquininhas de cartão são muito raras, porque a compra a crédito nunca foi um hábito comum na China. Comprar com cartão é possível em hotéis internacionais, mas ele raramente é aceito em táxis ou restaurantes, por exemplo. O jeito que os chineses costumam pagar suas compras hoje é por meio digital, usando apps como AliPay.

Funciona assim: por meio de aplicativos de pagamentos móveis, como o Alipay e o WeChat Pay, os chineses escolhem o que vão comprar. Na loja ou restaurante, eles apontam o celular para o código QR do produto e o valor é debitado eletronicamente do cliente. A operação também é feita de forma inversa. Em um restaurante, por exemplo, o atendente pode solicitar o QR do cliente – gerado pelo app de pagamento – para que ele seja escaneado e, assim, debitar o valor do produto.

Para sua experiência de compra acontecer, na China, no entanto,  é preciso instalar o Alipay, a maior e mais conhecida plataforma de pagamento digital do país. Veja como criar sua carteira digital, em cinco passos:

1

No Apple Store, Google Play ou site do Alipay, baixe o aplicativo. Se você fizer no iPhone ou Android, escolha a versão Alipay – Simplify Your Life, por ser a mais completa. Provavelmente você não vai usar todas as funcionalidades, mas ter elas à disposição não fará mal algum.

2

Mesmo que você tenha escolhido baixar o Alipay via site, vai ser redirecionado para o celular. Depois de instalado, abra o app e siga as instruções. Fácil falar, né? A tela inicial, sobre os termos e condições de uso, está em chinês. Mas é tranquilo. Clique na opção à direita destacada em azul. Depois dela, aparece uma tela que permite a escolha do idioma. Recomendamos que seja o inglês.

3

Depois de definida a linguagem do app, aperte a tecla de registro 'Sign Up' caso ainda não tenha se inscrito no Alipay. É preciso fornecer dados pessoais, como nome, telefone, e-mail e cartão de crédito internacional. Não se preocupe, o site é seguro.  Dê as autorizações necessárias para que o app possa funcionar sem restrições.

4

E assim chegamos à tela inicial do Alipay (à direita). Sim, há funcionalidades em chinês, mas vamos nos virar bem com as opções em inglês, especialmente as que estão no menu azul, na parte de cima do app: Scan (que lê o QR dos estabelecimentos para efetuar o pagamento), Pay (pagar com o seu QR gerado no app), Collect (receber dinheiro via QR) e Pocket. Para que todas essas opções funcionem, é preciso cadastrar um cartão internacional. Vá então na opção 'Pay'. O app vai abrir uma tela que pede o registro de cartão. Confirme seus dados.  Assim que o cartão for registrado no app, vai gerar um QR code que pode ser solicitado por algum lojista ou prestador de serviço para efetuar o pagamento da compra.

5

Com um cartão de crédito registrado, podemos comprar uma pequena quantidade de moeda local. Para fazer a primeira recarga, é preciso fornecer dados pessoais, como cartão bancário e foto do visto chinês (tire no celular). Na tela inicial do Alipay, clique em Tour Pass. Você pode carregar de 100 RMB a 2.000 RMB (pela cotação média de janeiro de 1,67 renminbi, isso equivale de R$ 60 a R$ 1.200).  Bem, feito isso é só desfrutar do mobile payment.

Alguns cartões de crédito podem ser recusados, dependendo de onde foram emitidos. Tente com diferentes opções até conseguir.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL

Sobre o autor

Felipe Zmoginski foi editor de tecnologia na revista INFO Exame, da Editora Abril, e passou pelos portais Terra e America Online. Foi fundador da Associação Brasileira de Online to Offline e secretário-executivo da Associação Brasileira de Inteligência Artificial. Há seis anos escreve sobre China e organiza missões de negócios para a Ásia. Com MBA em marketing pela FGV, foi head de marketing e comunicações do Baidu no Brasil, companhia líder em buscas na web na China e soluções de inteligência artificial em todo o mundo.

Sobre o Blog

Copy from China é um blog que busca jogar luzes sobre o processo de expansão econômica e desenvolvimento de novas tecnologias na China, suas contradições e oportunidades. O blog é um esforço para ajudar a compreender a transformação tecnológica da China que ascendeu da condição de um país pobre, nos anos 80, para potência mundial.

Copy from China