PUBLICIDADE
Topo

Histórico

Qual o segredo que fez Huang Zheng entrar na lista dos maiores bilionários

Felipe Zmoginski

24/06/2020 04h00

Huang convenceu usuários a fazer marketing de graça para PDD (Reprodução)

Aí está uma missão nada simplória: superar Larry Page, o fundador do Google, e Jack Ma, a mente brilhante por trás do grupo Alibaba, no ranking de maiores fortunas do mundo. A hercúlea tarefa foi completada esta semana por Huang Zheng, um ex-engenheiro do Google, na Califórnia, que retornou a seu país de origem para fundar o Pingduoduo (PDD), o maior fenômeno do e-commerce mundial da última década. De acordo com ranking da Forbes, Zheng tem US$ 45,4 bilhões ante US$ 45,1 de seu ex-patrão, Larry Page, e US$ 41,7 de Jack Ma.

Os números da fortuna pessoal de Zheng têm o poder de revelar as transformações pelas quais o cenário de comércio eletrônico, fortemente beneficiado pela crise do covid-19, tem sofrido na China – e apontar tendências para o resto do mundo.

Fundado só em 2005 (tardiamente, já que o e-commerce chinês se estabeleceu ainda nos anos 90), o Pingduoduo resolveu um problema que atormenta dez entre dez gestores de serviços do tipo: os gastos com marketing. Enquanto os líderes Alibaba e Jingdong derramavam milhões de renminbis (nome da moeda chinesa) em anúncios, promoções e aquisição de novos usuários, o PDD criou um modelo em que seus usuários são impulsionados a promover, de graça, a marca.

Huang se destacou ao misturar conceitos de rede social e compras coletivas às vendas online. É mais ou menos como se o Facebook e o Peixe Urbano se fundissem para reunir amigos em um clube de compras. Quanto mais amigos, mais descontos se consegue. E para ter mais descontos, o usuário ativo é que deve correr atrás de outro usuário – e não sua verba de marketing.

O ápice do PDD (até o momento) ocorreu esta semana, durante o festival "618", principal data de compras no primeiro semestre da China. Outra data ainda mais importante é o 11 de novembro, o dia dos solteiros, criado pelo Alibaba.

O festival marcou a ultrapassagem do PDD sobre o grupo JingDong, um titã do e-commerce, fundado antes mesmo de Jack Ma criar o Alibaba. O PDD não revela exatamente quanto vendeu na data promocional, mas listou os itens mais consumidos em seu site no período: computadores, celulares, eletrônicos, alimentos, bebidas e produtos ligados a cuidados maternos e infantis.

Para os investidores do PDD, as informações foram suficientes. Na bolsa eletrônica Nasdaq, as ADRs (recibos de ações estrangeiras listadas nos EUA) do PDD mais que dobraram de valor desde dezembro de 2019. Dos US$ 44 bilhões anotados no início deste ano, o valor de mercado dos certificados agora é de US$ 105 bilhões.

O festival que impulsionou o PDD nasceu, ironicamente, de um concorrente. O dia 18 de junho (ou 6/18, na forma anglo-saxônica de escrever a data, começando pelo mês e depois o dia) é o aniversário de fundação do site de compras JingDong (JD.com), o então segundo maior e-commerce da China.

Nessa data, a JD.com obtinha grande sucesso vendendo produtos com desconto, o que foi rapidamente imitado pelos concorrentes e se transformou em importante data comercial do primeiro semestre. É assim que, durante os 18 dias iniciais de junho, o e-commerce chinês promove uma "guerra de descontos" para atrair clientes e aumentar as receitas.

Chamado, na China, de "homem que reinventou o e-commerce", Huang ainda é um garotão no mundo dos negócios, com recém-completados 40 anos. Tem muito serviço a mostrar se desejar se equiparar à estatura que Jack Ma e Larry Page construíram no mundo da internet. Em notas de dólares – e, às vezes, ter dinheiro na vida é importante – Huang já fez história.

Sobre o autor

Felipe Zmoginski foi editor de tecnologia na revista INFO Exame, da Editora Abril, e passou pelos portais Terra e America Online. Foi fundador da Associação Brasileira de Online to Offline e secretário-executivo da Associação Brasileira de Inteligência Artificial. Há seis anos escreve sobre China e organiza missões de negócios para a Ásia. Com MBA em marketing pela FGV, foi head de marketing e comunicações do Baidu no Brasil, companhia líder em buscas na web na China e soluções de inteligência artificial em todo o mundo.

Sobre o Blog

Copy from China é um blog que busca jogar luzes sobre o processo de expansão econômica e desenvolvimento de novas tecnologias na China, suas contradições e oportunidades. O blog é um esforço para ajudar a compreender a transformação tecnológica da China que ascendeu da condição de um país pobre, nos anos 80, para potência mundial.